Gastronomia

História

A mineração determinou os rumos da história de Minas Gerais, e também da nossa gastronomia. A febre da mineração não deixava sobrar tempo, e a geografia não permitia muito espaço ao plantio. A dificuldade de acesso e o excessivo controle da Coroa sobre a região tornavam a maioria dos produtos muito escassos e caros.
Essa limitação só estimulou a criatividade e habilidade do mineiro. Milho e mandioca eram os alimentos básicos, completados com o que se obtinha no quintal: hortaliças, temperos, e animais pequenos, como o porco e o frango.
Os índios que aqui viviam contribuíram com suas habilidades na caça e coleta, e no cultivo da mandioca, milho, abóbora e amendoim. Da mandioca, faziam a farinha, o beiju e as bebidas alcoólicas. Com os negros vieram a banana, o café, a pimenta malagueta e o inhame, além do hábito de consumir caldos.
De suas colônias africanas e asiáticas, os portugueses trouxeram outros vegetais, como a manga, o arroz, a cana-de-açúcar, e o quiabo. De Portugal vieram a couve e o queijo, o trigo, a cebolinha, alho e laranja. Nos temperos, nos trouxeram o gosto pelo sal, além do cravo, a erva-doce, a canela e o alecrim.
A essa fundação cultural e gastronômica, se juntaram influências de imigrantes italianos, japoneses, alemães, libaneses, ingleses e de várias outras nações que aqui aportaram nos séculos XIX e XX.

A mineração determinou os rumos da história de Minas Gerais, e também da nossa gastronomia. A febre da mineração não deixava sobrar tempo, e a geografia não permitia muito espaço ao plantio. A dificuldade de acesso e o excessivo controle da Coroa sobre a região tornavam a maioria dos produtos muito escassos e caros.

Essa limitação só estimulou a criatividade e habilidade do mineiro. Milho e mandioca eram os alimentos básicos, completados com o que se obtinha no quintal: hortaliças, temperos, e animais pequenos, como o porco e o frango.

Os índios que aqui viviam contribuíram com suas habilidades na caça e coleta, e no cultivo da mandioca, milho, abóbora e amendoim. Da mandioca, faziam a farinha, o beiju e as bebidas alcoólicas.
Com os negros vieram a banana, o café, a pimenta malagueta e o inhame, além do hábito de consumir caldos.

De suas colônias africanas e asiáticas, os portugueses trouxeram outros vegetais, como a manga, o arroz, a cana-de-açúcar, e o quiabo. De Portugal vieram a couve e o queijo, o trigo, a cebolinha, alho e laranja. Nos temperos, nos trouxeram o gosto pelo sal, além do cravo, a erva-doce, a canela e o alecrim.

A essa fundação cultural e gastronômica, se juntaram influências de imigrantes italianos, japoneses, alemães, libaneses, ingleses e de várias outras nações que aqui aportaram nos séculos XIX e XX. 

 

Gastronomia e Desenvolvimento

A cadeia produtiva da gastronomia movimenta importantes setores da economia mineira. Veja os principais números:

Maior produtor de café do Brasil, com 56,4% do total produzido (SEAPA, 2017)
Maior produtor de leite do Brasil, respondendo por 26% do total (SEAPA, 2017)
390 mil agricultores familiares (MDA, 2016)
254 produtores de queijo minas artesanal, em 7 regiões – Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro (IMA, 2017)
509 produtores de cachaça registrados e 1.020 marcas (MAPA, 2016)

51 microcervejarias (SindBebidas, 2017)

105.600 estabelecimentos , empregando 630 mil pessoas (Abrasel, 2013)

154 eventos gastronômicos por ano (SETUR, 2016)
19 roteiros gastronômicos estruturados nas regiões turísticas do estado (SETUR, 2016)

Territórios Gastronômicos

Baseados em pesquisas e viagens, o chef mineiro Eduardo Avelar e sua equipe definiram cinco Territórios Gastronômicos, a partir dos costumes culinários praticados na região e da presença e utilização dos principais ingredientes, utensílios e outras particularidades culturais e naturais de cada área.
Aspectos de clima, relevo, vegetação e hidrografia também influenciam os produtos disponíveis e orientaram a definição dos territórios.
Os territórios gastronômicos de Minas Gerais são:

Conheça mais sobre cada território gastronômico de Minas Gerais em www.territoriosgastronomicos.com.br.

Experiências Gastronômicas

Em breve.

Depoimentos

Em breve.

Estudos, Relatórios e Publicações

Em breve.